Home / meio ambiente / Hoje é o dia do Rio das Velhas e de 22 anos do CBH do Velhas
Hoje é o dia do Rio das Velhas e de 22 anos do CBH do Velhas

Hoje é o dia do Rio das Velhas e de 22 anos do CBH do Velhas

Comemoração em dose dupla. Os amantes da natureza celebram hoje, dia 29 de junho de 2020, o Dia do Rio das Velhas e os 22 anos de fundação do Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio das Velhas (CBH Velhas).  Para Jequitibá, ambas as datas têm muito significado, como avalia a secretária municipal de Meio Ambiente Poliana Valgas, que também exerce o cargo de secretária-adjunta do Comitê.

“O Rio das Velhas tem importância na formação do povoado de Jequitibá. A história da ocupação da Bacia do Rio das Velhas começou no final do século XVII, quando os bandeirantes aproveitavam a rota do rio para desbravar o interior do estado à procura de pedras preciosas, ouro. É nesse processo que Jequitibá surge”, enaltece Poliana Valgas.

De acordo com a secretária, Jequitibá é um dos dez municípios formados a partir do rio, cuja contribuição “é  importantíssima na formação de muitos povoados que tiveram seu início bem próximo ao leito do rio, tanto é que a parte baixa de Jequitibá é a primeira parte do município, justamente pela proximidade com o Rio das Velhas”, aponta.

Ao recordar a importância histórica do Rio das Velhas para a formação do atual município de Jequitibá, Poliana Valgas cita que pela região banhada pelo rio passaram vários expedicionários e naturalistas. “Eles desceram o rio fazendo suas pesquisas, sendo um deles Richard Burton que é muito famoso”, destaca.

Além desse processo de importância do Rio das Velhas na  formação  do povoado de Jequitibá, há também a relação direta com os ribeirinhos e agricultores que, em sua grande maioria, sobrevivem da água do rio para manter as suas atividades,  além da relação da comunidade com o rio, que praticamente passa, margeia a área urbana. “Culturalmente, o rio integra o município. As pessoas têm uma relação muito afetiva com o rio, mesmo com tantos episódios de cheias , de ter esse histórico marcado por tantas cheias, por ter essa proximidade com o rio, apesar disso há uma relação muito afetiva das pessoas e do município de Jequitibá com o Rio das Velhas”, avalia a secretária de Meio Ambiente e Saneamento de Jequitibá.

A relação da comunidade com o Rio das Velhas é bem amistosa, bem afetiva, diz Poliana Valgas. “Muitas pessoas do município, os ribeirinhos, cresceram  lidando com o rio diretamente.  O rio costuma ser o sustento de muitas famílias, seja para a  agricultura, seja para a subsistência em relação aos pescados. Inclusive é um desejo do município que o Rio das Velhas volte a ter águas limpas para que as pessoas voltem a nadar e a praticar o que faziam no passado”, afirma.

“Para fortalecer o vínculo das pessoas e dar voz a essas pessoas que estão diretamente ligadas ao rio, bem como as pessoas em toda a bacia, nós temos os subcomitês que são unidades territoriais estratégicas da Bacia do Rio das Velhas, sendo divididas em 23 UTE’s”, informa a secretária Poliana Valgas.

“Cada UTE nada mais é do que um território de um afluente do rio, composto geralmente por mais municípios. Essas UTE’s possuem subcomitês, grupos, fóruns de discussão  onde abordamos todas as questões voltadas para os recursos hídricos daquela microbacia”, explica.

No Subcomitê do Rio Jequitibá,  formado por Prudente  de Morais, Capim Branco, Funilândia, Sete Lagoas e Jequitibá, a composição é feita por representantes da sociedade civil, do poder público e usuários, justamente para tratar de forma descentralizada o tema dos recursos hídricos, dar voz às pessoas. É o Comitê de Bacia mais próximo do ribeirinho, de quem está na margem do rio, mais próximo dele.

“Os subcomitês são os braços do Comitê têm essa finalidade, de tornar o Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio das Velhas mais próximo e atuante dos subcomitês. Ou seja, das pessoas da sub bacia. De uma forma coletiva, participativa, é em cada subcomitê que debatemos as melhores formas de compatibilizar as maneiras de compatibilizar o equilíbrio ecológico  com o desenvolvimento econômico e social”, enfatiza a secretária adjunta do CBH Velhas.

Logo, o significado dos 22 anos do Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio das Velhas é de muita luta, de muito engajamento social em prol do rio e de pessoas que cuidam dos diversos territórios em cada cantinho da bacia. “Vinte e dois anos não são 22 dias! É motivo de celebração, de comemorar cada conquista ao longo desses 22 anos. É claro que a gente não tem êxito em 100% do que a gente sonha, mas houve muito crescimento e desenvolvimento de ações”, analise a dirigente do CBH Velhas.

Na análise de Poliana Valgas, os  22 anos de atuação do Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio das Velhas mostram a maturidade que o CBH conseguiu devido à participação popular e à presença e contribuição de diversas pessoas, de diversos territórios, de pessoas que lutaram muito desde a criação, a formação do CBH e que ainda continuam lutando, seja nos bastidores, seja no Comitê. “São pessoas que continuam a sonhar com um rio mais limpo, onde as pessoas e as famílias possam utilizar de suas águas sem nenhum risco. Esse é o sonho que move o mundo a sonhar com um rio mais limpo”, declara.

Com orgulho e alegria, Poliana Valgas ressalta que as pessoas que participam do CBH Velhas “nunca deixaram de lutar, nunca deixaram de questionar, de cobrar, nunca foram passivas, omissas.  Continuam a participar e a lutar por aquilo em que acreditam. É possível sonhar com um rio limpo”, diz.

Jequitibá é um dos municípios que fazem parte da Bacia Hidrográfica do Rio das Velhas São 51. Jequitibá é um deles e tem uma cadeira no Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio das Velhas, que tem a participação de representantes de 14 municípios, que compõem o rol de conselheiros. “ Faço parte da diretoria, representando justamente o segmento municipal. O Comitê tem representante do segmento estadual, municipal, das empresas – no caso, a Cemig – e da sociedade civil”, frisa Poliana Valgas.

“A relação de Jequitibá com o Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio das Velhas é de muita parceria e a gente está concluindo o Plano Municipal de Saneamento Básico. É  um plano de extrema importância para o município. É o planejamento para o horizonte de 20 anos em relação a saneamento básico e está sendo concluído justamente agora pelo CBH do Rio das Velhas, que é o financiador do Plano Municipal de Saneamento Básico”, acrescenta, ao tratar da grande parceria entre a Prefeitura de Jequitibá e o Comitê de Bacia Hidrográfica do Rio das Velhas.

Além do Plano Municipal de Saneamento Básico, Jequitibá teve também  um grande projeto hidro ambiental que está sendo executado na região, incluindo Santana de Pirapama. “O objetivo desse Plano é melhorar a recarga hídrica na Bacia do Riachão. Em suma, esse projeto executou e construiu barraginhas, terraços, curvas de nível, cerceamento de nascente, plantio de árvores nativas e realizou várias oficinas para os produtores rurais. Então foram dois  projetos executados no último ano, mas o CBH vem realizando várias ações na Bacia como um todo. Jequitibá está inserida nesse território.”, finaliza Poliana Valgas.

 

Ir para o topo